PEGA NA MENTIRA

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 22 de agosto de 2016

pinóquioBanner_São-Joaquim_Site-Fala-RN_Fev-20151

PEGA NA MENTIRA

 

Acuados pelas suas próprias limitações no segmento da comunicação, infelizmente, alguns blogueiros são-gonçalenses estão alugando os seus nomes para que sejam usados nesta campanha eleitoral como instrumento para o exercício de proselitismo político e partidário.

Não é verdade o descontentamento do vereador Chanxe Dantas com a coordenação da campanha do seu candidato a prefeito Paulinho. Também é mentirosa a publicação de que o professor Abel Neto tenha privilégio nas decisões do PR.

Tem blogueiro que não consegue enxergar a um palmo do seu nariz de Pinóquio, pois se existe algum candidato que é tratado a pão-de-ló e os outros com migalhas é o ex-deputado estadual, ex-lider do governo Fernando Freire, ex-presidente da Federação do Futebol do Estado é o peemedebista Alexandre Cavalcanti.

Todos nós temos conhecimento da minuta do contrato, apesar de não ter assinatura, que viabilizou o apoio do ex-vereador Rafael Gadelha a candidatura do tio de Poti Neto, Alexandre Carlos Cavalcanti Neto. Foi redigido a quatro mãos, inclusive com a do conselheiro.

Na tentativa de conseguir novos votos ou mais pessoas para lutar pelos objetivos eleitorais da candidatura do PMBD a moeda de troca é empenhar as secretarias e dobrar os salários daqueles que tiverem coragem de trocar o certo pelo duvidoso.

Infelizmente, alguns blogueiros que se utilizam da prática do proselitismo para defender os seus candidatos, com certeza abrem mão da ética. Além disso, uma constatação triste: a maioria não tem profissão e vivem do subemprego.

 

AS MÁSCARAS ELEITORAIS DOS PEEMEDEBISTAS SÃO-GONÇALENSES

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 19 de agosto de 2016

5d2c59a6b9caf38d8bc618d66bcb836e-700x467

AS MÁSCARAS ELEITORAIS DOS PEEMEDEBISTAS SÃO-GONÇALENSES

Jarbas Cavalcanti não fez nada, não fez nada, não fez nada

 

Os discursos de alguns peemedebistas em defesa da construção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em São Gonçalo do Amarante, RN, as UPAs  fazem parte da Política Nacional de Urgência e Emergência, lançada pelo Ministério da Saúde em 2003, são de puro oportunismo eleitoral.

Quando não, muitas vezes, são enganosos. E pior: a maioria desses oradores é pega com as calças na mão porque as suas falas são totalmente despidas de ética.

Essas pessoas empenham até a honra da família para garantir, numa eventual vitória eleitoral do PMDB, o sobejo do poder.  As lentes da Rede Record, através do programa “Balanço Geral”, revelou para o povo são-gonçalense um dos protagonistas dessa campanha eleitoral do vale tudo.

Quem anda com a faixa pendurada no pescoço pelas esquinas são-gonçalense defendendo o convênio da implantação da UPA ignora o fato de que os ex-prefeitos Poti e Jarbas Cavalcanti abriram mão dessa oportunidade. Poti Júnior, por exemplo, preferiu construir o CT do Touro e Jarbas não fez nada.

Aqueles que acompanharam a reportagem sobre o abandono de mais de 500 UPAs em todo país, exibida no programa jornalístico “Bom dia Brasil”, neste manhã de sexta-feira, 19, vai entender que o prefeito Jaime Calado agiu com responsabilidade.

Aliás, em relação à Saúde, duvido que alguns desses caras possam aguentar sobre as suas costas o peso desse feixe de obras: MS emite parecer técnico favorável sobre a construção do novo hospital, Prefeitura vai entregar 06 unidades de saúde modelo até o final do ano, Iniciadas as obras de ampliação da Unidade de Saúde do Amarante, Prefeitura entrega reforma e ampliação da nova base do SAMU e Residencial Dr. Ruy Pereira vai ganhar em breve UBS Modelo.

Os discursos mascarados feitos por algumas lideranças proselitistas do PMDB não terão força para tirar São Gonçalo do Amarante dos trilhos do desenvolvimento. Já dia minha vó: “Quem mente rouba”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

A PREFEITURA DE SÃO GONÇALO DO AMARANTE JÁ FOI MORADIA DE ALGUNS EX-PREFEITOS

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 10 de agosto de 2016

cezanne

Nesse tempo, era só venha nós, ao vosso reino nada.

Tem político são-gonçalense abrindo a janela do seu Facebook para insinuar que foi vítima de armação. Infelizmente não foi claro e nos deixou cheios de dúvidas.

Não se sabe, por exemplo, se está se referindo a armação contra o Banco do Brasil, esta em benefício próprio, da COSERN ou do INSS que fizeram a cidade passar a vergonha de mau pagadora.

O político que botou só a “cabecinha” de fora foi o mesmo que a Prefeitura de São Gonçalo do Amarante, RN, pagou seu empréstimo pessoal no valor de R$ 21 mil, dividido em 21 parcelas de R$ 1 mil.

Já outro jogou o município na inadimplência, ou seja, não cumpriu com as suas responsabilidades financeiras. Ignorou por todo o tempo do seu governo as suas obrigações com o INSS e a COSERN, além de deixar os salários atrasados dos servidores e dos prestadores de serviços.

O prefeito Jaime Calado quando assumiu foi obrigado a renegociar essas dívidas do ex-prefeito mau pagador para que a prefeitura obtivesse uma certidão negativa de débitos. Se não, o munícipio iria parar.

E então? Quem realmente sofreu algum tipo de armação foram os cofres públicos ou esses cidadãos? Cuja vida pregressa de ambos foi sustentada pelo povo são-gonçalense por anos.

 

Zenaide Maia defende continuidade da educação para pessoas deficientes como determina ONU

- Por Manacy Henrique em 10 de agosto de 2016

Zenaide-Maia-na-Audiência-Pública

Banner_São-Joaquim_Site-Fala-RN_Fev-20151

Zenaide Maia defende continuidade da educação para pessoas deficientes como determina ONU

A deputada federal Zenaide Maia (PR/RN) participou nesta terça-feira (09), em Brasília, da audiência pública entre a Comissão de Educação e a Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas com Deficiência, da qual faz parte. Em pauta o debate da regulamentação do direito ao “aprendizado ao longo de toda vida” previsto na Convenção da ONU sobre os direitos das pessoas com deficiência.

Zenaide Maia chamou atenção para importância do tema da audiência e citou exemplo das dificuldades das mães de pessoas deficientes, por ter um filho nas mesmas condições. “A gente ouve muito sobre a criança com deficiência, mas a vivência é que revela a importância de uma atenção maior, principalmente, na educação. Depois que a mãe passa pelo impacto de saber que seu filho é deficiente, ela começa a vibrar com pequenas vitórias que seu filho conquista. E um dos problemas existentes é quando as crianças deficientes crescem e deixam a faixa de ensinamentos básicos, é como se passassem a não existir porque não tem continuidade na educação”, destacou a deputada durante audiência.

A audiência contou com a mesa formada pela deputada Zenaide Maia, pela Conselheira do Conselho Nacional de Educação – CNE, Malvina Tânia Tuttman, pela secretária de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão do Ministério da Educação – SECADI/MEC, Ivana de Siqueira, pela Mestre em Psicologia, Patrícia Freitas e Débora Dantas, representante do Coletivo Filhos da Flor.

 

O Suposto Blogueiro é o Cavalo de Tróia das Eleições São-gonçalenses

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 9 de agosto de 2016

Beware_of_Greeks_bearing_gifts

O Suposto Blogueiro é o Cavalo de Tróia das Eleições São-gonçalenses

A estratégia da Guerra de Tróia nestas eleições pode ter sido usada com sucesso

Tem um candidato a prefeito nestas olímpiadas eleitorais são-gonçalenses que sofreu um golpe político perfeito, que na pontuação do judô é conhecido por ippon, e não sabe.

Ou se sabe se faz de desentendido.  Entre os crimes eleitorais brasileiros a corrupção eleitoral ativa foi um dos recursos usado por ele nesta campanha, ou seja, ofereceu um cargo em comissão no valor dobrado ao eleitor em troca do seu voto.

Todavia, alguns “árbitros” eleitorais – conhecidos no meio como caibo eleitoral – estão tentando inverter a ação ativa em passiva, quero dizer, culpar o cidadão. Para os desavisados, a corrupção eleitoral passiva é pedir ou receber dinheiro em troca do voto.

A oferta não foi aceita, mas mesmo assim essa ação não desqualifica o crime. Portanto, resta esperar a divulgação do vídeo para que a Justiça Eleitoral decida quem vai ficar com a medalha de ouro da corrupção eleitoral e, consequentemente, ser penalizado. Caso vença as eleições, nem diplomado será.

 

 

 

 

Presidente do TSE pede cassação de registro do PT

- Publicado por Manacy Henrique em 7 de agosto de 2016

INFOCHPDPICT000060077340

Banner_São-Joaquim_Site-Fala-RN_Fev-20151

Presidente do TSE pede cassação de registro do PT

Para Gilmar Mendes, há indícios de que partido foi indiretamente financiado pela Petrobras

BRASÍLIA — O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes, determinou abertura de processo pedindo a cassação do registro do PT. Segundo Gilmar, há indícios de que o PT foi indiretamente financiado pela Petrobras, que é uma sociedade de economia mista, o que é proibido pela legislação eleitoral. O caso ficará sob a responsabilidade da corregedora da Justiça Eleitoral, ministra Maria Thereza de Assis Moura.

Gilmar é relator das contas de campanha da presidente Dilma Rousseff. As contas foram julgadas e aprovadas pelo TSE logo depois das eleições, em dezembro de 2014. No entanto, o ministro continuou pedindo apurações acerca da contabilidade apresentada pela petista, diante de indícios de irregularidades encontrados por técnicos do tribunal. A defesa de Dilma já recorreu ao TSE para pedir o encerramento das investigações, mas o pedido foi negado. O novo procedimento contra o PT será aberto com base nesse material.

O ministro anotou que, na Lava-Jato, foi apurado que empreiteiras corrompiam agentes públicos para firmar contratos com a Petrobras, mediante fraude à licitação e formação de cartel. Parte da propina voltaria ao PT em forma de doações à legenda e às campanhas eleitorais. Outra parte seria entregue em dinheiro ao tesoureiro do partido. Uma terceira parte financiaria o PT por meio de doações indiretas ocultas, especialmente por meio de publicidade. “Somado a isso, a conta de campanha da candidata (Dilma) também contabilizou expressiva entrada de valores depositados pelas empresas investigadas”, escreveu

Segundo o ministro, “há indicativos sérios de inconsistências nas despesas contabilizadas” pelo partido e pela campanha. “Aparentemente, o ciclo se completaria não somente com o efetivo financiamento das campanhas com dinheiro sujo, mas também com a conversão do capital em ativos aparentemente desvinculados de sua origem criminosa, podendo ser empregados, corno se lícitos fossem, em finalidades outras, até o momento não reveladas”, explicou Gilmar.

Segundo Gilmar, há “suspeita de relevância criminal das condutas”. Para ele, “doar recursos – supostamente vantagens ilícitas para a prática de crimes contra a administração pública – ao partido ou à campanha, ou entregá-los sem contabilidade a representantes do partido são indicativos do crime de lavagem de dinheiro”. Ele também explicou que “a omissão de recursos na contabilidade da campanha indica crime de falsidade ideológica eleitoral”.

Em agosto de 2015, Gilmar reportou os indícios de irregularidade supostamente cometidos pelo PT ao então corregedor da Justiça Eleitoral, ministro João Otávio de Noronha – que, por sua vez, enviou ofício ao então presidente do TSE, ministro Dias Toffoli, pedindo providências. Entre as medidas previstas em lei, está a “abertura de investigação para apuração de qualquer ato que viole as prescrições legais ou estatutárias a que, em matéria financeira, os partidos e seus filiados estejam sujeitos”.

No último dia 2, o secretário-geral do TSE, Luciano Fuck, enviou ofício a Gilmar lembrando que a gestão anterior do TSE não tomou essa providência. Ao saber disso, Gilmar determinou de imediato a instauração do processo.

No ofício enviado à Corregedoria no ano passado, Gilmar afirmou que os indícios de que o PT foi financiado pela Petrobras foram obtidos a partir do cruzamento das informações contidas no processo de prestação de contas da presidente Dilma, em notícias veiculadas na imprensa e também em documentos da Lava-Jato.

Ainda no ofício do ano passado, Gilmar cita doações recebidas pelo PT em 2014 por sete empresas investigadas na Lava-Jato: UTC, Andrade Gutierrez, Queiroz Galvão, OAS, Construtora Odebrecht, Odebrecht Óleo e Gás e Engevix. Juntas, as empresas teriam doado R$ 263,8 milhões naquele ano. Parte dos recursos teriam sido repassados à campanha de Dilma. Além desse valor, as mesmas empresas teriam repassado R$ 47,5 milhões diretamente à campanha da presidente.

Publicidade

PT DIZ NÃO HAVER RAZÃO PARA CASSAR REGISTRO

Entre 2010 e 2014, o PT teria recebido R$ 171,9 milhões das mesmas empresas, segundo informações de técnicos do TSE. Gilmar também cita doações não contabilizadas e outros repasses realizados com o pretexto de custear serviços de publicidade, de acordo com as investigações da Lava-Jato. O ministro afirma ainda que Dilma “despendeu grandes valores em contratos com fornecedores com incerta capacidade de cumprir ou entregar os respectivos objetivos”.

O ministro ressalta a empresa Focal Confecção e Comunicação Visual. A candidata informou ter pago R$ 24 milhões por prestação de serviços, o segundo maior contrato da campanha. Reportagem do jornal “Folha de São Paulo” revelou que um dos sócios era um motorista contratado pela própria empresa.

A direção nacional do PT informou, em nota por intermédio de sua assessoria de imprensa, que não há razão para se tentar cassar o registro da legenda. “O PT não tem conhecimento de nenhum pedido de cassação de seu registro e não vê motivos para a adoção desta medida, pois todas as suas operações financeiras são feitas dentro da legalidade”, diz o partido.

 

Show de luzes e mistura de ritmos dão o tom da abertura da Rio 2016

- Publicado por Manacy Henrique em 6 de agosto de 2016

luz2

Show de luzes e mistura de ritmos dão o tom da abertura da Rio 2016

Como haviam adiantado os diretores criativos da cerimônia de abertura, projeções e luzes foram os principais recursos tecnológicos utilizados na abertura dos Jogos Olímpicos. As projeções no chão do Maracanã criaram efeitos muito aplaudidos pelo público, como o voo do 14 Bis sobre o Rio de Janeiro, a transformação da floresta em um país tomado por plantações e grandes cidades e os traços arquitetônicos de Oscar Niemeyer no caminho da “Garota de Ipanema” Gisele Bündchen.

Os diretores criativos do espetáculo Daniela Thomas, Andrucha Waddington e Fernando Meirelles haviam anunciado que o recurso seria a grande aposta da cerimônia, devido a limitações impostas pelo estádio do Maracanã.

Ao contrário das aberturas anteriores, o Maracanã não é um estádio olímpico (não tem pista de atletismo), o que reduz o espaço disponível. O estádio também tem muitos lugares no nível do campo, o que impede que palcos elevados sejam montados para que equipamentos e acessórios possam ser retirados dos subsolos e escondidos depois. Para completar, o Maracanã tem portas de menos dois metros de altura, o que inviabiliza a entrada de grandes alegorias ou estruturas.

Todas essas dificuldades se somam ao orçamento reduzido da cerimônia do Rio. O valor não foi divulgado, mas, segundo os seus organizadores, é bem menor que das edições anteriores. O produtor executivo da cerimônia, Marco Balich, disse que Atenas foi marcante por ter sido clássica, Pequim teve uma abertura grandiosa, Londres fez uma festa inteligente e o Rio seria lembrado por uma cerimônia descolada. “É a festa mais legal em que eu trabalhei”, disse ele, que também produziu a abertura dos Jogos de Inverno de Socchi, na Rússia.

CMN obriga presença de médicos anestesiologistas nos hospitais

- Publicado por Manacy Henrique em 3 de agosto de 2016

thumbnail_Sessão-CMN-03.08.16-Foto-ELPÍDIO-JÚNIOR-2

Banner_São-Joaquim_Site-Fala-RN_Fev-20151

CMN obriga presença de médicos anestesiologistas nos hospitais

Preocupada em garantir atendimento de saúde para a população, a Câmara Municipal de Natal aprovou nesta quarta-feira (03) um projeto de lei apresentado pelo vereador Paulinho Freire (SD) que torna obrigatória a presença de um médico anestesiologista plantonista nos hospitais da capital potiguar.

“Essa matéria vale para as redes pública e privada de saúde. Na maioria das unidades não existe esse profissional tão importante para o atendimento de urgência das pessoas. Dito isso, espero que a prefeitura não vete o projeto, haja vista que o nosso objetivo é salvar vidas”, defendeu o vereador Paulinho Freire.

A vereadora Júlia Arruda (PDT), por sua vez, também tornou obrigatória a realização do exame de oximetria de pulso, “Teste do Coraçãozinho”, em todos os recém nascidos atendidos nos hospitais do Município do Natal. “Trata-se de direcionar maior atenção e cuidado para as crianças, que têm direito a proteção à vida e à saúde”, disse Júlia.

 

Ninguém escolhe ser um refugiado, mas em São Gonçalo do Amarante pode ser tudo de bom

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 3 de agosto de 2016

Ninguém...página 2.

Banner_São-Joaquim_Site-Fala-RN_Fev-20151

Ninguém escolhe ser um refugiado, mas em São Gonçalo do Amarante pode ser tudo de bom

Afinal, qual é o destino dos “refugiados” do grupo político do prefeito de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado? Inclusive daqueles considerados desertores de outros grupos, por exemplo, dos Cavalcanti.

Numa situação real de guerra, de conflito ou de perseguição ninguém escolhe ser um refugiado. Entretanto, na “guerra” eleitoral que se trava no município alguns correligionários estão abandonando as suas trincheiras pelo bel-prazer de se tonar um.

Enquanto os que fogem da guerra da Síria se arriscam ser torturados ou sofrer algo muito pior, os das nossas eleições não correm risco nenhum, pelo contrário, se refugiam na esperança de garantir mais quatro anos de emprego público.

Lá, para muitos refugiados, a opção é entre viver ou morrer. Aqui, em solo são-gonçalense, a escolha é entre continuar ganhando R$ 800 ou arriscar ganhar R$ 1.600. Ledo engano de quem achar que estão mudando de lado para “brigar” por mais Educação e Saúde.

E pior: a maioria desses refugiados que marcha na busca de um abrigo na Prefeitura Municipal de São Gonçalo do Amarante, RN, não tem profissão. Daí a explicação para esta cultura do “toma-lá-dá-cá” das eleições brasileiras que tanto denigre a imagem do político e compromete os programas de um governo.

 

 

Ninguém escolhe ser um refugiado, mas em São Gonçalo do Amarante pode ser tudo de bom

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 2 de agosto de 2016

IMG_7737

Banner_São-Joaquim_Site-Fala-RN_Fev-20151

Ninguém escolhe ser um refugiado, mas em São Gonçalo do Amarante pode ser tudo de bom

 

Afinal, qual é o destino dos “refugiados” do grupo político do prefeito de São Gonçalo do Amarante, Jaime Calado? Inclusive daqueles considerados desertores de outros grupos, por exemplo, dos Cavalcanti.

Numa situação real de guerra, de conflito ou de perseguição ninguém escolhe ser um refugiado. Entretanto, na “guerra” eleitoral que se trava no município alguns correligionários estão abandonando as suas trincheiras pelo bel-prazer de se tonar um.

Enquanto os que fogem da guerra da Síria se arriscam ser torturados ou sofrer algo muito pior, os das nossas eleições não correm risco nenhum, pelo contrário, se refugiam na esperança de garantir mais quatro anos de emprego público.

Lá, para muitos refugiados, a opção é entre viver ou morrer. Aqui, em solo são-gonçalense, a escolha é entre continuar ganhando R$ 800 ou arriscar ganhar R$ 1.600. Ledo engano de quem achar que estão mudando de lado para “brigar” por mais Educação e Saúde.

E pior: a maioria desses refugiados que marcha na busca de um abrigo na Prefeitura Municipal de São Gonçalo do Amarante, RN, não tem profissão. Daí a explicação para esta cultura do “toma-lá-dá-cá” das eleições brasileiras que tanto denigre a imagem do político e compromete os programas de um governo.