Enquanto ficarmos na prática da antropofagia política, está tudo bem

Escrito por Manacy Henrique em 24 de outubro de 2018

44610437_2229670313773932_1963674501023531008_o

Enquanto ficarmos na prática da antropofagia política, está tudo bem

A insatisfação eleitoral e sucessivos erros de avaliação dão espaço para que o nosso grupo partidário pratique antropofagia política. Entre os nossos índios, era para comer carne dos inimigos. Entre nós, o ritual não é feito para comer a carne dos adversários, mas para comer as dos próprios aliados.

E pelo andar da carruagem, não descarto a possibilidade de me tornar, amanhã ou depois, eu mesmo alimento para um colega. Pelo menos o desafio já foi feito. E você do grupo, liderança, corre o mesmo risco.

Graças à patronagem, essa cultura passou de pai para filho. Em São Gonçalo do Amarante, algumas tribos, quer dizer, algumas famílias tentam perpetuarem-se no poder pelos porões.

Não faz muito tempo que foi descoberto um túnel escavado da Câmara Municipal de São Gonçalo do Amarante até a Prefeitura de Natal/RN. Os instrumentos de escavação eram atrasados: populismo, fisiologismo e clientelismo.

Quem prestou atenção, com os ouvidos, às lamentações e acusações indiretas do vereador Chanxe Dantas na última sessão ordinária, certamente, pode compreender que aquelas tribos são também praticante do canibalismo político nas terras de Dona Lola.

É assim que caminha o nosso grupo político e assim sempre será. O exemplo que vai continuar nessa toada é o apoio dado ao candidato de Poti Neto no segundo turno. Mas sabem por que isso acontece e não há uma reação dos caciques, porque estamos em cima de uma eleição para prefeito, Cleidvan Tavares e Cláudia Varela.

Portanto, nós do tamanho e de peso político igual a um coelho temos que ter cuidado quando formos convidados para esses rituais. Não se deixe surpreender, pois o próximo a ser comido pode ser você, Rafael Melo.

Deixe um Comentário


− 1 = oito