”Nós somos importantes, mas não decidimos nada”

Escrito por Manacy Henrique em 21 de fevereiro de 2019

52486571_2488205377920423_2562019812507123712_o

”Nós somos importantes, mas não decidimos nada”

Animar é papel principal de determinados políticos e blogueiros são-gonçalenses.

Quem não tem profissão está sujeito a tudo, inclusive, comer, beber e dormir amarrado ao pé da mesa do seu dono. Hoje, para alguns blogueiros e políticos são-gonçalenses, infelizmente, a liberdade de pensamento tornou-se uma mercadoria barata.

Nos últimos anos, para o ex-presidente da Casa dos Bons Homens Geraldo Veríssimo de Oliveira, o vereador, de fato e de direito, não tem assumido outro papel na política partidária que o de benfazejo.

Quer dizer, nas decisões chega sempre pronto para se divertir e fazer graça. Sabe por quê? Porque para vestir a camisa do time de qualquer base governista, não é diferente da relação de trabalho entre um jogador profissional e o time contratante.

Explico: o atleta primeiro assina a demissão para depois ser contratado. Um jogador de futebol não sobrevive nesse mundo fora de um time. É o mesmo que acontece com o edil: fora da base governista não consegue atender aos pedidos do eleitor.

Ao apartear o comunista, o colega Thiago Soares fez a seguinte pergunta: “Em que nos tornamos?”. Ora Thiago, na política e na profissão, quem pensa com a barriga nunca, jamais e em tempo algum terá poder de decisão. Como Chanxe Dantas, nos tornamos em um bocado de joões-teimosos.

Deixe um Comentário


− três = 5