Quem quiser vestir esse traje ridículo da política é só botar a carapuça

 

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 20 de novembro de 2017

images (1)

Quem quiser vestir esse traje ridículo da política é só botar a carapuça

Qualquer “olheiro” da política partidária que tiver paciência de assistir aos jogos das redes sociais, com certeza vai encontrar dentro das quatro linhas do Facebook só vencedores, entre esses, atacantes de seleção e dribladores também?

O que há de incomum com a realidade do futebol é que a “peneira” desses políticos é arrombada, ou seja, não há critério para ser selecionado. Pelo momento de crise que vive, liderança de 1,15m até 1,17m, sem exceção, todas são chamadas.

Por que a maioria se acha um Pelé? Porque o que vale para eles é a máxima do ditado popular: “Quem não tem cão, caça com gato”. Por isso que a manifestação de pensamento desses líderes não tem poder de convencimento, se tem não dá para vencer as batalhas eleitorais.

Imaginem se as palavras desse tipo de político são-gonçalense pudessem ser vistas na sua própria pele, certamente, iria passar um bom tempo de sua vida correndo atrás do poder.

Nem na eleição de Diretório Municipal ‘Livres’ se livra do PMDB

 

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 18 de novembro de 2017

23561532_1124781517651812_1170806208788224987_n

Nem na eleição de Diretório Municipal ‘Livres’ se livra do PMDB

Quem agradece a Poti Neto, agradece também ao presidente Michel Temer

O evento partidário realizado na Câmara Municipal de São Gonçalo do Amarante, RN, nesta sexta-feira, 17, para a escolha dos membros do Diretório Municipal do Livres no município, pelo visto o presidente Jadismar Lima vai continuar apostando, politicamente, com as cartas de Poti Neto.

Pregam mudanças, mas se agarram ao tronco da política de conciliação da família que aprimorou a oligarquia são-gonçalense. Estou confuso, mas tenho certeza que, com esse evangelho, não vão chegar a lugar nenhum.

O que há de novo nesse grupo, hein? Certamente, nada. É de conhecimento de todos que a maioria dos que hoje vestem a farda de cor púrpura do Livres são considerados desertores.

Inclusive, a mulher de um deles não faz meia hora que foi demitida de um cargo em comissão de R$ 2.800, 00 (dois mil e oitocentos reais). As queixas dos demais não são diferentes.

Pelos discursos, ficou muito claro que esses apoios são de soldados ressentidos. Vocês que pregam autonomia política e partidária precisam se desgarrar de quem tem histórico social excludente.

Um conselho: procure saber quais são os cinco efeitos colaterais da Reforma Protestante de Martinho Lutero. Basta dizer que a Igreja Católica foi desafiada.

Infelizmente, vocês não têm coragem de enfrentar quem apoia Michel Temer, então como vão nos convencer de que querem mudanças e ser livres.

O que querem os diversionistas do governo da continuidade de Paulinho Emídio?

 

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 15 de novembro de 2017

DSC_4022

O que querem os diversionistas do governo da continuidade de Paulinho Emídio?

Temos enorme gratidão ao ex-prefeito Jaime Calado por o que fez pelo povo são-gonçalense. Quem não votou em Paulinho Emídio é compreensível que pense diferente, contudo, os que não votaram e estão pendurados no barco do governo deveriam ser gratos pelo acolhimento.

Esses acolhidos, por incrível que possa parecer, seja vereador ou não foram muito bem recebidos, inclusive, com casa, comida e roupa lavada. “Deus me livre de deixar o governo”, disse um que foi salvo.

Alguns desses nada fizeram pelo município, por isso que fracassaram na última eleição. Outros não perceberam ainda que no governo não há cavalo de Troia. Podem até nos trair, mas não vão conseguir ficar por muito tempo na espreita.

Muitas vezes o cavalo de Troia deles era o vereador. Na pré-campanha e na campanha eleitoral tripudiavam de Paulinho Emídio, mas elogiavam o parlamentar. Agora escolheram o ex-prefeito Jaime Calado como alvo par aliviar as suas frustrações eleitorais.

Recomendo aos que estão chegando ao governo Paulinho Emídio que faça uma reflexão sobre o passado dos seus líderes, agora, por uma questão de oportunidade, ex-líderes. Embora da ingratidão nem Jesus livrou-se. Pois de dez leprosos curados por Ele, apenas um voltou para agradecer-lhe.

A oposição ainda não percebeu, mas foi diluída nas ondas da Caravana Parlamentar

 

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 14 de novembro de 2017

23517880_1696054807135488_5425087669448049234_n

A oposição ainda não percebeu, mas foi diluída nas ondas da Caravana Parlamentar

Os oposicionistas ao governo do Prefeito de São Gonçalo do Amarante, RN, Paulinho Emídio, entregaram de bandeja os poderes da Comissão de Fiscalização e agora só lhe restam surfar na onda da situação.

O fatídico e tão conhecido conselho “Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço”, duvido muito que os vereadores de oposição Tarcísio Fernandes (PSD), Eudócio Mota (SDD) e Edson Arcanjo da Silva (PMDB) não sigam a risca.

Quem dar a entender que a comitiva não é de cunho político está tentando enganar a ele mesmo. É sim, senhor. Entretanto deveria ser ignorado se fosse de cunho eleitoral.

O fato de Paulinho não se insurgir contra a comitiva, isso pode transformá-lo no prefeito mais democrático do Rio Grande do Norte. Pois, segundo o vice-presidente do Conselho de Decisões da Caravana Chanxe Dantas, o movimento são-gonçalense está servindo de exemplo para outras Casas Legislativas.

O frisson das reuniões plenárias deve-se ao fato de que a crítica negativa é vista com mais atenção que a positiva. Ainda vai chegar, certamente, o momento do relatório de boas notícias da administração.

Esses anjos caravaneiros da base do governo não estão aí com o objetivo de levar para o céu ninguém à força não. Eles estão fazendo o que se pensava que era obrigação apenas da oposição.

Para os que pensam assim, os papéis se inverteram. Aliás, quando os incrédulos vão perceber que não existe opositores a administração do PR/PT da Prefeitura de São Gonçalo do Amarante?

Disse Nino: “Graças a Deus, pastor, que não elegemos Poti Neto prefeito”

 

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 14 de novembro de 2017

23472217_1696047527136216_8433281219177963993_n 23517880_1696054807135488_5425087669448049234_n

Disse Nino: “Graças a Deus, pastor, que não elegemos Poti Neto prefeito”

Na sessão ordinária dessa segunda-feira, 13, da Câmara Municipal de São Gonçalo do Amarante, RN, a tirada do vereador peemedebista Edson Arcanjo da Silva, carinhosamente, chamado pelos amigos de Nino, feita ao apartear seu o colega pastor Edmilson Gomes (PMDB), do ponto de vista da ironia foi sensacional.

Antes da entrada no ringue do parlamentar Nino, um dos rounds foram disputados por Chanxe Dantas (PRB) e Edson Valban (PV). “Não existiu um prefeito de São Gonçalo em dez meses de governo que fizesse o que Paulinho fez”, esse direto foi em Jaime Calado.

Assim pensou Valban. Tanto é que ele pediu a palavra, mesmo sem as luvas, fez o seguinte contra-ataque: “O sucessor está bem porque o ex-prefeito Jaime deixou uma prefeitura com condições de governabilidade”.

Disse também que Jaime recebeu uma prefeitura com os salários atrasados e sem serviços. O valor de R$ 30 milhões aproximadamente foi a dívida deixada por Jarbas Cavalcanti. Com mais esse jab de direita o futuro presidente eleito para o biênio 2019/2020 fez Dantas recuar.

O grande embate da noite foi disputado pelos dois pesos pesados do PMDB. Edmilson representando o prefeito Paulinho Emídio e seu adversário a Caravana Parlamentar. “Pegar uma administração aprovada por mais de 60% da população do seu antecessor para dá continuidade a uma administração dessa não é fácil”, argumentou o religioso.

Na comparação dos dez primeiros meses de Jaime e
Paulinho, Edmilson, em tese, não diverge de Chanxe. Mas ao fazer essa afirmação o pastor baixou a guarda e Nino soltou o braço. “Veja só pastor Edmilson o crime que vossa excelência ia cometer…tanto que eu lutei e você lutou para que Poti Neto viesse a ser eleito. Veja o crime que vossa excelência tinha cometido ao derrotar Paulinho”.

Para o grande parceiro de Rayure na luta por melhorias, especialmente, na zona rural, o discurso do pastor em reconhecimento a administração do prefeito foi um ponto fora da curva quando comparado ao da campanha eleitoral. Nos segundos finais, ele finalizou com esse golpe: “Graças a Deus, pastor, que não elegemos Poti Neto prefeito”.

Jaime Calado também governou para os imbecis e os idiotas do Facebook

 

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 11 de novembro de 2017

jaime-papa

Jaime Calado também governou para os imbecis e os idiotas do Facebook

Você já leu o romance mundialmente famoso de Humberto Eco ‘O Nome da Rosa’ ou viu o filme? A resposta é sim, então devo parabenizá-lo por isso. Caso não tenha lido, deixe pra lá. Nada contra.

O italiano tinha uma biblioteca com 30 mil volumes. Morreu aos 84 anos. O escritor, em certo momento da vida afirmou: “As redes sociais deram voz a legião de imbecis”. Além disso, lamentou o fato do idiota ter o mesmo espaço de Prêmio Nobel.

Infelizmente, não posso dizer o mesmo com alguns peladeiros do meu Facebook, bem que eu gostaria, contudo, reconheço não jogar melhor que eles.

Porém, às vezes sinto-me extremamente incomodado com as suas bizarrices. Tripudiar uma pessoa como o ex-prefeito de São Gonçalo do Amarante, RN, Jaime Calado, além de indelicado, falta-lhe maturidade.

Uma dessas age de forma equivocada, pois não faz muito tempo que, como diretor de uma Unidade de Saúde da cidade do Natal, foi apedrejado verbalmente pela população por inconsequência administrativa.

E pior: não passa de um agente político lambanceiro, isto é, contenta-se em ganhar o pão de cada dia fazendo fofocas. Homem de aspirações medíocres. Nas disputas eleitorais em que o povo tem o poder de avaliá-lo não ganha uma. A última foi a presidência de um Conselho Comunitário.

Não olho com desdém para quem faz de sua página do Facebook um palanque eleitoral, mas isso não quer dizer que estou obrigado a concordar com as suas imbecilidades e idiotices. Imaginem se Eco fosse meu amigo no Facebook o que diria para esses “caras”.

Qual foi o político, dotado de fé pública, que registrou Paulinho como “Asa de Chumbo”?

 

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 9 de novembro de 2017

images

Qual foi o político, dotado de fé pública, que registrou Paulinho como “Asa de Chumbo”?

Se era “pesado”, o povo usou a força do voto para levantá-lo

Às vezes os vereadores são-gonçalenses falam coisas que têm efeito “condenatório” sobre o seu passado eleitoral. Infelizmente, na tentativa de achar culpados, mas nem assim modificam o que já foi dito.

Em mais uma discussão, considerada por muitos cidadãos como aleatória, numa das sessões ordinárias da Câmara de Vereadores de São Gonçalo do Amarante, RN, o ex-presidente da Casa Legislativa e ex-vice do PC do B Geraldo Veríssimo de Oliveira acusou Eraldo Paiva de ser o autor da alcunha.

Quem de repente atravessou na frente para defender o vice-prefeito foi o vereador Chanxe Dantas! “Não senhor, não foi Eraldo!”, refutou. “Então quem foi, foi Alexandre?”, indagou Veríssimo.

Como não houve contrarréplica, ficamos sem saber ao certo quem foi o tabelião que assinou o registro. Felizmente, quem o chamava por esse apelido esqueceu que a força estava com o povo.

Caravana vive seu “dia de cão” no parlamento são-gonçalense

 

- Escrito e publicado por Manacy Henrique 9 de novembro de 2017

23231571_1689678751106427_4152053413561032482_n

Caravana vive seu “dia de cão” no parlamento são-gonçalense

Na sessão ordinária realizada na Câmara Municipal de São Gonçalo do Amarante, RN, ontem, quarta-feira, 8, possivelmente, foi quebrado o encanto, ou seja, o interesse intenso pelas informações dos próprios integrantes da comitiva de vereadores.

Voltando a fita da reunião plenária de segunda-feira, 6, basta rever o discurso do vereador Clóvis Júnior (PMB) para se convencer de que ficou subentendido que o dentista Chreosil Protásil passou seis meses recebendo salário, mas nesse mesmo período ficou impedido de fazer os procedimentos por falta de detergente enzimático.

Segundo Júnior, o depoimento foi dado pelo próprio profissional. Quem o aparteou e sugeriu a formação de uma comissão para investigar a denúncia foi o presidente Mendes. “A denúncia é grave, pois receber dinheiro público sem trabalhar é crime”, alertou o presidente. Apesar dessa observação, ninguém se manifestou.

Pois bem, na última reunião plenária são-gonçalense os nervos de alguns caravaneiros ficaram a flor da pele devido a uma cuidadosa investigação feita e tornada pública, inclusive, com provas documentais, por Márcia Soares (PTC) sobre a denúncia do seu colega.

É inverídica a informação de que a Unidade de Saúde de Rego Moleiro/Barreiros levou 180 dias para que um dos seus gabinetes odontológicos voltasse a atender a população. O testemunho foi considerado impreciso porque o dentista estava de licença médica nesse período, aliás, desde 2012 que vem se renovando as suas licenças.

Por outro lado, a parlamentar atestou com convicção a veracidade das demais denúncias do relatório do vereador e advogado Clóvis e das redes sociais. Infelizmente, o ímpeto de Nino de defender e preservar a imagem da fonte foi pior a emenda que o soneto. Haja vista que o álibi do dentista comprometera as suas próprias informações.

Os bons homens nem sempre a política atrai, por exemplo, César Veríssimo

 

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 8 de novembro de 2017

a-de-barao-e-cesar-2

Os bons homens nem sempre a política atrai, por exemplo, César Veríssimo

Das eleições de 2016, cujas lembranças minhas são agradabilíssimas, especialmente, as vitórias de Paulinho e Chanxe Dantas, porém, uma em especial, eu quero tornar pública a minha tristeza pelo seu desfecho final.

Não torci pela sua vitória Doutor César Veríssimo, obviamente, mas alimentei a esperança para que a sua semente política germinasse e a parti daí ocupasse um espaço no quadro dos pensadores políticos de São Gonçalo do Amarante, RN.

A melúria que agora afaga, em mim, esse sentimento de perda é alimentada pela certeza de que a história pessoal e profissional do advogado Veríssimo é uma certidão de probidade para exercer qualquer cargo público, inclusive, de agente político.

Aqueles que surfaram na sua onda eleitoral no alto mar são-gonçalense deram-se bem, porém, desses nós esperávamos pelo menos que acenassem para ele, infelizmente, não foi o que aconteceu.

Não custa lembrar, portanto, que ainda nas classificatórias da pré-campanha eleitoral, pelo seu desempenho, deram as seguintes notas: 400 pontos a mais que sua primeira adversária, 200 em relação a segunda e 20 na disputa com o terceiro concorrente.

Graças a Caravana Parlamentar chegou detergente enzimático na Unidade de Saúde de Rego Moleiro/Barreiros

 

- Escrito e publicado por Manacy Henrique em 7 de novembro de 2017

22769624_1669586396448996_6458447152426482455_o

Graças a Caravana Parlamentar chegou detergente enzimático na Unidade de Saúde de Rego Moleiro/Barreiros

Na sessão ordinária realizada na Câmara de Vereadores de São Gonçalo do Amarante, RN, dessa segunda-feira, 6, as ações da Caravana Parlamentar, por mais uma vez, dominaram a pauta da reunião.

E o duelo verbal, especialmente, entre os colegas Edson Valban e pastor Edmilson Gomes, pois houve um também de Chanxe e Mendes, me fez lembrar-se do clássico de faroeste “O Dólar Furado”. Sendo que na disputa com Valban, Edmilson foi muito mais rápido que Giuliano Gemma.

O advogado e vereador Clóvis Júnior lia seu relatório, relatório esse embasado nas informações colhidas na oportunidade da visita do caravaneiro feita a Unidade de Saúde de Barreiros/Rego Moleiro, quando de repente a palavra lhe foi tomada pela vereadora Rayure Protásio.

Certamente, inquietou-se diante a informação de que o dentista, dada por ele próprio, por 6 meses seguidos estava recebendo sem poder exercer a atividade por falta de detergente enzimático. Além da falta de climatização adequada na farmácia. “Detergente enzimático é um produto de limpeza de materiais cirúrgicos. Como também a falta de climatização adequada pode prejudicar, sobretudo, a eficácia dos medicamentos”, explicou Márcia Soares.

Pois bem, a intervenção da vereadora Rayure, que é sobrinha do odontólogo Chreosil Protási, foi para informar que o secretário de Saúde, Jalmir Simões, já tinha tomado às providências diante as queixas feitas do seu tio e os demais profissionais.

Ação administrativa essa elogiada pelo então presidente do Conselho de Decisões da Caravana, Edson Valban. “Esse é o objetivo único e exclusivamente do grupo, trazer os problemas para que as soluções sejam rápidas”, disse o “papa” título do nosso futebol amador.

Ainda em tempo disparou o presidente: “Só não vai atrás da Caravana quem já morreu!”. Mesmo sem ser citado, sobressaltou-se o vereador Edmilson: “Eu sei que isso foi dirigido a mim porque não participo desse grupo”. E justificou que tem auxiliado o governo sem precisar fazer parte da comitiva.

Felizmente, a Câmara Municipal, como é de conhecimento de todos, não é mais controlada por aquele tipo de parlamentar que hoje é denominado por seus colegas de morto-vivo da política são-gonçalense. De uma coisa podem ter certeza, a Caravana a cada dia fica mais corporificada politicamente.