Em São Gonçalo, o vice de Paulinho é Maciel

Escrito por Manacy Henrique em 26 de janeiro de 2019

liuhi

Em São Gonçalo, o vice de Paulinho é Maciel

Antônio Maciel (o Potência) é vice-presidente republicano.

O prefeito de São Gonçalo do Amarante, Paulo Emídio de Medeiros, conforme registro cartorial paralelo, isto é, de fontes, será o presidente do Partido da República (PR). Para vice, ele escolheu o ex-vereador Antônio Maciel.

Do grupo, poucos têm histórico de rompimento com seus projetos pessoas para atender chamados de Jaime Calado ou de Paulo Emídio. Felizmente, Antônio tem. Aliás, O secretário Municipal de Educação, Abel Neto, também.

Nunca, jamais e em tempo algum eles colocaram em risco qualquer missão partidária, política ou administrativa. Abel, por exemplo, deixou de se eleger vereador no PTC para atender uma convocação de Jaime, que era presidente do PR.

Ao longo desses 20 anos de existência do grupo, Maciel foi um paredão em defesa dos projetos políticos dos nossos líderes. Durante todo esse tempo não precisou de mandato para ser ouvido e respeitado dentro ou fora do núcleo do poder.

Tê-lo como vice-presidente faz do PR um partido maior. Político da qualidade de Antônio Maciel não se encontra em qualquer esquina partidária. A escolha honra o nome dos bons políticos são-gonçalenses.

Projeto do Avante são-gonçalense é eleger dois vereadores

Escrito por Manacy Henrique em 25 de janeiro de 2019

50099090_1158950227609857_111318474206216192_n

Projeto do Avante são-gonçalense é eleger dois vereadores

O desembarque de Régio David (a Régia do Golandim) no grupo político, liderado pelo prefeito Paulinho Emídio, não a obrigará desfazer-se das malas do Avante. Segundo a suplente, tal exigência não lhe foi feita.

Quanto ao futuro político do partido, é razoável afirmar que o projeto do presidente da Comissão Provisória Municipal do Avante, Raimundo Nonato Queiroz, de eleger dois vereadores está mantido.

Por outro lado, presumir que o ex-vereador Nonato também desembarcará na área VIP da Prefeitura de São Gonçalo do Amarante não é nenhum exagero da minha parte.

A sua estada pode promover a redenção política do grupo na comunidade de Maçaranduba, por exemplo, e um novo rumo político para o presidente. Na última eleição, a candidata a deputada estadual apoiada por Queiroz foi a mais votada.

Eu fico constrangido, imaginem o presidente da Câmara Municipal

Escrito por Manacy Henrique em 24 de janeiro de 2019

50521872_2427561677318127_4091491652688936960_o

Eu fico constrangido, imaginem o presidente da Câmara Municipal

 

Falta de galhardia do ex-presidente Mendes para com a Mesa Diretora da Câmara Municipal de São Gonçalo do Amarante, apesar do alvo atingido ser sempre o presidente Edson Valban, constrange alguns colegas, inclusive, quem está atento as suas investidas.

Em sessão extraordinária realizada na última terça-feira (22), ele deu o primeiro bote. Por descuido da Mesa, o presidente sugeriu colocar em uma só votação o regime de urgência dos cinco projetos. “…não, não pode tem que ser individual…”, atacou certamente valendo-se do regimento e de sua experiência.

 

Na sessão extraordinária realizada no dia ontem, quarta-feira (23), repetiu o gesto. E pior: pediu uma parte para repreender os companheiros por descumprimento do regimento. “…na discussão, cada vereador só pode falar uma vez…”. É só pedir a quebra de sigilo das suas filmagens para acharmos facilmente os seus sete erros capitais a frente da Mesa Diretora.

 

Na verdade, Mendes perdeu uma grande chance de elogiar a condução inovadora dos trabalhos adotada por Valban. Aliás, inovação essa que traz para o centro das discussões o presidente da Comissão de Fiscalização e Finanças, Edson Arcanjo, e o próprio Mendes, que é presidente da Comissão de Justiça e Legislação.

 

Infelizmente, o comportamento do vereador Mendes é sobra, ainda, do seu mandato de presidente da Casa dos Bons Homens. Chanxe Dantas, Edson Arcanjo, o Nino, e seu colega, também, advogado Clóvis Júnior foram vítimas das intempestivas ações do “Galeguinho Dos olhos Azuis”.

Poder Executivo esperava seis meses de redução de salários, mas só aprovaram três

Escrito por Manacy Henrique em 23 de janeiro de 2019

50404450_2213289685665210_2147326417837228032_n

Poder Executivo esperava seis meses de redução de salários, mas só aprovaram três

“Se ele quiser (o prefeito) a gente dá mais três meses, seis ou até doze”, disse um vereador aliado.

Desta vez, os vereadores da base governista que votaram contra os três meses de redução salarial do prefeito, do vice, do secretariado municipal, secretário e adjunto, votaram a favor da Prefeitura de São Gonçalo do Amarante/ RN.

Os “insurgentes” Edmilson Gomes, Adelson Martins, Edson Arcanjo e Valda Siqueira não se deram conta de que a manobra para aprovar três meses foi bem sucedida porque o ofício enviado pelo prefeito, propondo o Projeto de Lei, não especificou prazo. Não quero nem falar dos “chavecos” da Comissão de Justiça e Redação.

Mas em conversa de canto de parede, a maioria da base governista sabia que o desejo do prefeito Paulinho Emídio era de que fosse aprovado um período, no mínimo, de seis meses prorrogáveis por mais seis.

Ora, a lei aprovada, ainda, em 2016 deu direito ao prefeito ganhar até R$ 27.776,00, o vice R$ 19.443,20, o secretário R$ 14 mil e o adjunto R$ 11.900,00. Caso os vereadores tivessem aprovado a redução de 22% sobre esses salários, em um ano, a economia para os cofres públicos seria de aproximadamente R$ 2,5 milhões.

Mas nem tudo estar perdido. O prefeito será capaz de conseguir economizar esses milhões desde que se transforme, literalmente, em um pedinte, ou seja, após os três meses, ele peça mais três, mais três e mais três.

Câmara de São Gonçalo realiza sessão extraordinária e aprova urgência para cinco projetos de lei de autoria do Executivo

Escrito por Manacy Henrique em 23 de janeiro de 2019

50835120_788963174802948_4438354457054412800_n

Câmara de São Gonçalo realiza sessão extraordinária e aprova urgência para cinco projetos de lei de autoria do Executivo

Em sessão extraordinária, realizada nesta terça-feira (22), a Câmara de Vereadores de São Gonçalo do Amarante/RN votou e aprovou o regime de urgência para cinco Projetos de Lei (Psl) de autoria do Poder Executivo.

No plenário, as galerias ficaram lotadas pelos agentes comunitários de saúde e pelos de controle de endemias. Embora a urgência tenha sido aprovada, hoje, foi feita apenas a leitura das propostas e o encaminhamento das mesmas pela Mesa Diretora para a Comissão de Legislação, Justiça e Redação Final.

Apesar de maioria ter ficado surpresa com a rapidez da sessão, mas tudo foi realizado dentro do que determine o regimento interno da Casa. Obedecendo as formalidades, o presidente Edson Valban marcou para amanhã, quarta-feira (23), a partir das 9 horas, mais uma sessão extraordinária.

Por fim, os agentes aproveitaram a oportunidade e usaram o plenário para discutir uma proposta para emendar o projeto. Segundo o presidente do Sindicato, houve modificação na redação da proposição discutida no gabinete do prefeito.

Enquete 90 dias antes das convenções definirá o nome do candidato a prefeito do PSL são-gonçalense

Escrito por Manacy Henrique em 21 de janeiro de 2019

50226128_2538289786188241_1064247678533107712_o-1

Enquete 90 dias antes das convenções definirá o nome do candidato a prefeito do PSL são-gonçalense

O presidente da Comissão Provisória do PSL de São Gonçalo do Amarante, Francisco de Assis Ferreira Souto, confirmou pelo telefone que as portas e janelas estão abertas para qualquer filiado que deseja disputar a indicação de candidato a prefeito pelo partido.

Na prática, o processo de escolha será feito através de uma enquete três meses antes das convenções partidárias. Segundo o presidente, no mínimo, além de Ailton Fagundes e ele próprio, mais dois ou três entrarão nessa “briga”.

Concluído o processo de escolha, a chapa será sangue puro, isto é, prefeito e vice do Partido Social Liberal (PSL). Por outro lado, não existe a menor possibilidade de receber ou apoiar uma candidatura ainda que seja oposicionista.

Portanto, as intenções políticas e partidárias do colega do PSL têm total apoio do Livres. Na opinião de Jadismar Lima, aproximar-se de qualquer outro grupo político do município inviabilizaria o projeto dos liberais.

Em São Gonçalo, as ‘manobras’ partidárias estão com os dias contados

Escrito por Manacy Henrique em 21 de janeiro de 2019

14124523_1414342975259330_7975596655552055033_o

Em São Gonçalo, as ‘manobras’ partidárias estão com os dias contados

Quem pensar que vai repetir o feito do PTC de 2020, isto é, botar um partido embaixo do braço e levar para aonde bem entender, pode tirar o cavalinho da chuva.

O objetivo das cabeças pensantes do grupo político liderado pelo prefeito Paulinho Emídio é o fortalecer ainda mais os partidos que dão sustentação ao governo na Câmara Municipal.

A estratégia de mudança de legenda ensaiada no treino dos camaradas do Partido Verde (PV) vai ficar no ensaio. Se alguém tem alguma dúvida que esse será o encaminhamento para a próxima campanha, já pode tirá-la.

O prefeito quer entrar em campos eleitorais com a equipe titular já definida. O que pode acontecer na “janela partidária” é apenas a reintegração ao elenco de alguns correligionários que se encontra hoje no partido adversário.

Portanto, para as próximas eleições, quem quiser construir um partido vai ter que bancar. O sonho dos técnicos do PV e do PT vai ficar na prancheta.

Mamãe Elza Carlos, parabéns!

Escrito por Manacy Henrique em 19 de janeiro de 2019

50551773_295645421298441_1897503065175490560_n

Mamãe Elza Carlos, parabéns!

Depois de passar por este mundo, eu quero estar em qualquer lugar que você estiver, minha amiga. Pelo bem que você proporciona a nossa família, eu vou sempre está de sobreaviso.

Eu sou testemunha que os troféus ganhos nas batalhas cotidianas fizeram de você um grande exemplo para as nossas famílias, os nossos amigos e muito mais para os teus filhos Jairo, Fernanda, Aninha e Mariana.

Amiga, como poderia esquecer o teu último gesto de heroína em prol de um amigo em comum? Por isso tu és a minha candidata preferida para ganhar o Prêmio Nobel do Amor de Mãe este ano, Elza Carlos.

Poucas tiram de letra essa missão nobre, que é a de ser mãezona com H, quer dizer, forte. Sem contar tudo que você consegue fazer ainda como a vovó de Stephanie, Newton, Joaquim, Márcio, Mário Filho e Pedro Henrique.

Em São Gonçalo: Paulinho, Poti e Ailton são candidatos

50226128_2538289786188241_1064247678533107712_o (1)

Em São Gonçalo: Paulinho, Poti e Ailton são candidatos

A instalação da Comissão Provisória Municipal do Partido Social Liberal (PSL) aconteceu nessa quarta-feira (16), às 19 horas, no Guagiru, zona rural de São Gonçalo do Amarante.
Em seguida a posse dos membros, por unanimidade, Ailton Fagundes foi escolhido para disputar a prefeitura em 2020.

A executiva aprovada do PSL foi a seguintes: Francisco de Assis Ferreira Souto (Presidente), Elder Maia Batalha (Vice-presidente), Salatiel Marciel de Sousa Júnior (Secretário Geral), Lindemberg Varela da Silva (Primeiro Secretário) e José Rafael Duarte Júnior (Tesoureiro).

Para o coronel da reserva e Presidente Estadual do Partido Social Liberal (PSL), Hélio Imbrósio, o encontro fortalece ainda mais o projeto do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Hélio, além de prestigiar a instalação da legenda, abonou algumas fichas dos novos filiados são-gonçalenses.

Politicamente, para o Livres, tão importante quanto à instalação da legenda, foi sua migração. O Livres está trocando o Solidariedade pelo Partido Social Liberal. A mudança partidária fortaleceu o projeto de candidatura de prefeito do grupo.

Com essa decisão do Livres, além de Paulinho e Poti, Ailton também entra na “briga” pela Prefeitura de São Gonçalo do Amarante. Na visão do empresário Jadismar Lima, após o traumático divórcio político entre o seu grupo e dos Cavalcanti, eles assumiram de fato e direito o papel da oposição no município.

Para Jadismar, o “morde e assopra” pela imprensa de Alexandre Cavalcanti, quer dizer, critica, em seguida, nos bastidores, elogia o governo de Paulinho, é uma prática que vai de encontro os interesses dos dez mandamentos oposicionistas. “Na prática, alguns “chegados” dos Cavalcanti supostamente que estão no município, estão escondidos no governo”, acusou Lima.

Raimundo Freitas, presidente do PV são-gonçalense, garante que ‘baixo clero’ do partido pode filiar-se ao PT

Escrito por Manacy Henrique em 17 de janeiro de 2019

14045677_945552798886511_7311560229988870654_n

Raimundo Freitas, presidente do PV são-gonçalense, garante que ‘baixo clero’ do partido pode filiar-se ao PT

Pensar grande pode tornar o pequeno do Partido Verde maior ainda.

O presidente do Partido Verde (PV), Raimundo Freitas, garantiu, com exceção do presidente da Câmara Municipal, Edson Valban, e de seu colega Adelson Martins, todos os demais filiados vão pegar a lendária Rota 66 política são-gonçalense e só desembarcar no Partido dos Trabalhadores (PT).

Para a viagem, segundo Raimundo, o ex-petista Helomar Júnior está disposto a bancar as passagens. Além de Helomar, suplentes do partido como Maciel, o Potência, e Paulo Silva já estão de malas prontas.

O fato dos petistas não ter elegido vereador na última campanha eleitoral, elegeu apenas o vice-prefeito Eraldo Paiva, facilita a aproximação dos grupos. O PT precisa voltar à Casa de Leis por isso não vai deixar escapar essa chance.

Batido o martelo, a clareira da Rota 66 onde está encravada a Casa dos Bons Homens estará ao alcance de Paulo Silva, por exemplo. Por outro lado, o petista Bruno Luiz também têm chances reais de chagar lá.

Pelo histórico da campanha de 2016, ninguém pode impedir esse translado partidário. Haja vista que o PTC, um sucesso eleitoral desse ano, foi criado com esse fim, quer dizer, tornar a disputa o mais justa possível entre os candidatos.

Enfim, esse tipo de reação pode acabar com a cultura política de que os grandes tudo pode, isto é, o vereador trai e nada acontece. O grupo foi abandonado na altura do km 2000 da Rota 66 pelo ex-presidente Mendes e ficou por isso mesmo. Ele fez tudo errado, mas o penalizado fomos nós que seguimos as orientações política dos nossos líderes, no meu caso, a de Jaime Calado.