Por um dia o Plenário da Câmara de São Gonçalo foi Terreiro de Ubanda do Pai Nino

 

- Escrito por Manacy Henrique em 25 de dezembro de 2017

25594175_1745658625508439_522905038641714540_n

Por um dia o Plenário da Câmara de São Gonçalo foi Terreiro de Ubanda do Pai Nino

A emenda que reduzia para 10% o livre remanejamento no orçamento de 2018 da Prefeitura de São Gonçalo foi derrubada, com ela também caíram 12 vereadores

De sorte que, se Edosn Valban, Clóvis Júnior e Thiago Soares não tivessem segurado o preto velho de Chanxe Dantas na última sessão do ano, com certeza que os nomes daqueles que tramaram contra os 30% pedido pelo prefeito Paulinho Emídio teriam varado a madrugada estampados em algumas capas de jornais e blogs são-gonçalenses.

Antes de ser levada para o teste de fidelidade da bancada que dá sustentação ao governo, a Lei Orçamentária Anual (LOA), que foi estimada em aproximadamente R$ 570 milhões, passou por alguns rituais e o terreiro principal foi o gabinete do parlamentar Gerson Bezerra.

Quem não procurou bênção nessa casa que recebe Luz foram os seus colegas Raimundo Mendes Alves, Edmilson Gomes, Pablo Rodrigo, Márcia Soares e Valda Siqueira. Dos 12, 11 frequentaram na condição de pais e uma de mãe-de-santo.

Por longos 11 meses, o dirigente do terreiro recebeu todos, sem exceção, no mínimo, duas vezes por semana. O objetivo era dar vazão e desenvolver a mediunidade na esperança de conseguirem um cargo aqui outro acolá.

Mas o feitiço virou contra os feiticeiros, principalmente, para um deles. O mundo desabou em cima do mandato de Jailson Tavares, consequentemente, para não serem atingidos pelos pedaços, os companheiros correram e seguraram-se nos cós da calça de Emídio.

Portanto meu caro leitor, se o meu texto não tirou suas dúvidas sobre a presença da Pomba gira na sessão ordinária derradeira deste ano, que se manifestou incorporada nos médiuns Veríssimo e Nino, é só aguardar que o preto velho de Jardim Lola irá pronunciar-se sobre o tema.

Deixe um Comentário


cinco − 2 =