Vereador são-gonçalense Geraldo Veríssimo pode ter um vice-governador pra chamar de seu, e Raimundo Mendes?

Escrito por Manacy Henrique em 22 de outubro de 2018

44498936_242866783076540_5390677899193876480_n

Vereador são-gonçalense Geraldo Veríssimo pode ter um vice-governador pra chamar de seu, e Raimundo Mendes?

No primeiro turno desta eleição, potidariamente, Raimundo Alves Mendes deu um chega prá lá no vice-presidente do Partido da Mulher Brasileira (PMB), Jaime Calado Pereira dos Santos, que ele saiu catando cavaco sobre o tabuleiro de xadrez. Mesmo assim, Raimundo Mendes Ficou vulnerável todo tempo da partida, porque seu movimento foi com o peão Robinson Faria.

No segundo turno, novamente disse não a Calado com o peão Carlos Eduardo. Além disso, ignorou a jogada do prefeito Paulinho Emídio para o lado do tabuleiro político são-gonçalense de apoio a petista Fátima Bezerra, candidata à governadora do Rio Grande do Norte.

Política é um jogo mais complicado que o de xadrez. No xadrez, estatisticamente, está comprovado que, às vezes, leva vantagem quem fizer o primeiro movimento com as peças brancas. Por outro lado, no jogo partidário, toda vantagem é passível de superação.

Em jogos rápidos, porém, entre enxadristas amadores a vantagem das brancas, em relação às pretas, cai um pouco. Posso citar como exemplo de jogos rápidos as duas eleições de Mendes para presidência da Câmara de Vereadores de São Gonçalo do Amarante/RN.

Márcia Soares, Pablo Rodrigo, Thiago Soares e Jaílson Tavares foram os amadores da segunda partida. Contudo, a peça que decidiu os jogos em favor do presidente foi a Rainha, é a peça mais poderosa do xadrez, leia-se: Jaime Calado.

E foi para livrar Mendes de uma derrota fragorosa que o ex-prefeito encurralou o rei Geraldo Veríssimo e o peão Edmilson Gomes. Esse foi um xeque-mate em três movimentos. E só foi possível porque o adversário, Chanxe Dantas, do Galeguinho estava jogando bem mal.

Quando Veríssimo chegou ao final disputa da presidência, por motivos óbvios, o jogo deixou de ser de amadores e ele (o homem de confiança de Calado) passou a jogar com as peças pretas. O jogo para ele obrigatoriamente tinha que ser em ritmo lento.

Pelos últimos resultados das pesquisas eleitorais, tudo leva a crer que Geraldo vai aumentar a sua vantagem em relação ao procurador do município aposentado. Hoje, as marcas políticas, partidárias e administrativas do ex-presidente são mais e melhores que as do seu irmão de fogueira política.

Portanto, confirmada as pesquisas, Veríssimo sairá desta eleição com um vice pra chamar de seu e vai esperar passar a Era Valban para coroar o seu gesto de fidelidade a Jaime e a Paulinho. Já o destino político de Mendes é incerto, inclusive, partidariamente. Deve sair desta eleição moralmente com as mãos abanando.

Deixe um Comentário


4 + = oito